domingo, abril 07, 2019

Música Vocal Caipira - Seminário de pesquisa em andamento




Inaugurando as atividades do GEPEMAC em 2019, a mestranda Anne Karoline Moreira fará uma palestra sobre sua pesquisa de Mestrado. A atividade será uma aula aberta da disciplina Repertório Coral Brasileiro, ministrada pela professora e orientadora Susana Cecilia Igayara-Souza. Anne Karoline selecionou áudios de gravações especialmente para essa oportunidade. 


Entrada franca, sem inscrição prévia


terça-feira, março 12, 2019

NOVOS LOCAIS DE ENSAIO



Aos coralistas

Atenção aos novos locais de ensaio para alguns dos coros do Comunicantus em Março de 2019


ESPAÇO DAS ARTES ECA-USP - NOVO LOCAL para os coros:

CORAL DA ECA-USP 
CORO DE CÂMARA COMUNICANTUS
CORAL ESCOLA COMUNICANTUS (OS TESTES TAMBÉM SERÃO NO NOVO ESPAÇO)

Estes 3 coros ensaiarão no Espaço das Artes, que é o local onde foi realizado o
Festival Comunicantus em dezembro de 2018 (vejam fotos abaixo)


CONTINUAM NO MESMO LOCAL, os coros:

MADRIGAL COMUNICANTUS (Sala 14-A)
CLASSE DE REGÊNCIA CORAL (Sala 14-A)
CUCO - CORAL UNIVERSITÁRIO COMUNICANTUS (Sala 14-A)
CORAL DA TERCEIRA IDADE DA USP (Sala 14-A)

Coral da ECA no Espaço das Artes (Festival Comunicantus 2018)
Fachada do Espaço das Artes
Rua da Praça do Relógio, 160.


sexta-feira, fevereiro 08, 2019

GEPEMAC anuncia chamada de trabalhos sobre canto coral em cooperação acadêmica com a Argentina




O GEPEMAC, grupo de Estudos e Pesquisas Multidisciplinares nas Artes do Canto, anuncia a chamada de trabalhos para o Simpósio Americano de Música Coral, que ser realizará paralelamente ao III Foro Coral Americano. 
Tendo contribuído com 5 trabalhos de pesquisa na II edição do Foro, em 2018, a coordenadora geral do evento convidou a professora Susana Cecilia Igayara-Souza para presidente do Comitê Acadêmico. Por indicação das professoras, os doutorandos Munir Sabag e Carolina Andrade Oliveira, integrantes do GEPEMAC, foram incluídos no Comitê Acadêmico que organizará e selecionará trabalhos. A temática desta edição é "O impacto das religiões na música coral". Veja os detalhes abaixo: 















sexta-feira, dezembro 28, 2018

Comunicantus: veja datas do recesso e retorno das atividades




Depois de um ano muito produtivo, com festival, concertos, viagens, ensaios, aulas, congressos, reuniões, projetos, programas de bolsas, estreias de obras corais, professores e regentes convidados, workshops, seminários, iniciação científica, palestras, exposições de pôsteres, defesas de teses, dissertações e TCCs, entre tantas atividades, o Comunicantus está em recesso. 

As atividades administrativas voltam dia 15 de Janeiro. 

O início dos ensaios e teses serão divulgados no final de Janeiro. 

Desejamos a todos ótimas férias e um feliz 2019. 


segunda-feira, novembro 26, 2018

Comunicantus tem três dias de Festival em 2018 (5 a 7 de dezembro)




O Festival anual do Comunicantus: Laboratório Coral do Departamento de Música da ECA-USP terá três dias de duração em 2018, entre 5 e 7 de dezembro, distribuído em quatro diferentes concertos, dois em horário de almoço ( 5 e 7, 13h) e dois à noite (6 e 7, 20h). Veja no final da postagem a programação completa.

A intensa atividade coral do Comunicantus está representada pelos 7 diferentes grupos que ensaiam semanalmente, sob supervisão e coordenação dos professores Marco Antonio da Silva Ramos e Susana Cecilia Igayara-Souza.

Veja o vídeo de divulgação

Nesses grupos, serão apresentadas composições e arranjos de alunos de graduação e pós-graduação, trabalhados em atividade nas disciplinas ou em projetos de pesquisa, além de um amplo repertório de distintos períodos históricos.

Além dos grupos do próprio laboratório, há 5 coros convidados, com distintos perfis.

Entre os destaques do Festival estão:


  • O programa "Mix Missa", pelo Coral da ECA-USP, com partes da mais tradicional forma musical para coro, com obras em distintos estilos  (Tom de Leeuw, Bob Chilcot, Silva Ramos, Puccini, Fauré).


Coral da ECA-USP, regência Marco Antonio da Silva Ramos


  • Composições e arranjos de alunos de graduação  e pós-graduação, ampliando o repertório coral. 
Susana Cecilia Igayara, professora de Repertório Coral
Marco Antonio da Silva Ramos, professor de Regência Coral



  • Regentes-arranjadores e regentes-compositores.


Coralusp 12 em Ponto, regência Eduardo Fernandes

  • Obras com instrumentos solistas no Coral da 3a idade da USP: saxofone, viola e violoncelo (tocados por alunos da graduação em música), além da colaboração de piano, violão e percussão.

Coral da Terceira Idade da USP, regido e preparado vocalmente por alunos de graduação e pós-graduação


  • 3 grupos convidados do Coralusp: 12 em ponto, Maria Antonia e Zimana
Coralusp Maria Antonia, regência Thiago Pinheiro

Coralusp Zimana, regência Alberto Cunha


  • 2 outros coros convidados: Coro Masculino de Alumínio e Coral Centro Cultural da Maturidade (7 de dezembro 13h)


Coro Masculino de Alumínio, regência Marcelo Recski

Coral Centro Cultural da Maturidade, regência Marcos Júlio Sergl

  • Uma noite voltada à música renascentista e brasileira (6 de dezembro, 20h), com obras de Willaert, Marenzio, Tubal, Janequin, Morley, entre outros.

Madrigal Comunicantus, regência Munir Sabag (Doutorando)

  • Alunos regentes em todos os concertos (graduação e pós-graduação)
CUCO (Coral Universitário Comunicantus), formado por alunos regentes de graduação e pós-graduação


  • Ritmos populares  (forró, samba, reggae), modinhas e canções.

Coral Escola Comunicantus, regido e preparado vocalmente por equipe de alunos de graduação e pós-graduação


  • Compositores referenciais do repertório coral, como Monteverdi, Schubert, Mendelssohn, Furio Franceschini, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Osvaldo Lacerda, Lopes-Graça, Arvo Pärt,  (além dos já citados)

Classe de Regência Coral, Professor Marco Antonio da Silva Ramos (em Masterclass com Jean Klebb realizada em 2018)

Veja abaixo a programação completa. Todos os concertos serão no Espaço das Artes ECA-USP.














quinta-feira, outubro 25, 2018

Próximas Defesas de Mestrado - GEPEMAC



    Filipe Fonseca                                                               Selma Boragian                                                 Mariana Trento

Entre o final de Outubro e o final de Novembro, teremos três defesas de Mestrado. Em duas delas, haverá participação de coros do Comunicantus. As defesas são atividades públicas e todos estão convidados.
Veja abaixo detalhes de cada um dos trabalhos, datas e locais:

Defesa de Dissertação - Filipe Fonseca



Data: 26 de Outubro, Sexta-feira
Horário 13h30
Local: Auditório Lupe Cotrim, 1o andar do Prédio Central da ECA/USP

Nome Completo: Filipe Daniel Fonseca dos Santos

Título do trabalho: Ópera Le Fate de Henrique Oswald: edição crítica a partir dos manuscritos autógrafos

Nível:
Mestrado

Programa/ Linha de pesquisa: Música/Musicologia

Orientador: Susana Cecilia Igayara-Souza

Banca:
Susana Cecilia Igayara (USP)
Carlos Alberto Figueiredo (UNIRIO)
Lutero Rodrigues (UNESP)

Resumo: O objetivo deste trabalho é apresentar uma edição crítica da ópera Le Fate (1902-1903), de Henrique Oswald (1952-1931), a partir dos manuscritos autógrafos encontrados na Biblioteca da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, no Arquivo Nacional e na Biblioteca Nacional, ambos no Rio de Janeiro. Para isso utilizamos o método do texto-base como apresentado por Figueiredo em seu trabalho sobre as teorias e práticas editoriais aplicadas à música sacra brasileira dos séculos XVIII e XIX, apoiado por outros autores que abordam o assunto da edição crítica, como Grier, no âmbito musical, Cambraia e Spina, no campo literário. No decorrer de nosso trabalho fazemos uma análise dos manuscritos e apresentamos uma edição do libreto e da partitura, ambos com seus aparatos críticos, precedidos por uma discussão dos problemas encontrados e dos critérios utilizados para resolvê-los. Além disso, apresentamos algumas informações para a identificação do libretista, Eduardo Filippi, fornecendo subsídios para futuras pesquisas sobre este autor, pois até o momento não encontramos nenhum trabalho que apresentasse qualquer informação sobre ele. A edição da ópera Le Fate, assim como de qualquer outra obra deste porte, apresenta vários desafios ao editor, com relação às necessárias correções e modificações implícitas na atividade de edição crítica musical. Seguindo a bibliografia especializada, buscamos a definição da melhor metodologia de trabalho e a análise crítica, apoiada pelo conhecimento da obra, do estilo e do compositor, adquirido ao longo da pesquisa.


Defesa de Dissertação - Selma Boragian



Data: 13 de Novembro, Terça-feira
Horário 19h
Local: Sala de Música do Espaço das Artes da ECA/USP

Nome Completo: Selma Borhagian Machado

Título do trabalho: O samba em arranjos para coral: três olhares sobre a cidade de São Paulo

Nível:
Mestrado

Programa/ Linha de pesquisa: Criação e Performance

Orientador: Marco Antonio da Silva Ramos

Banca:
Profa. Dra. Marisa Fonterrada (UNESP)
Prof. Dr. Carlos Roberto Menezes Junior (UFU-MG)

Apresentação: Coro de Câmara Comunicantus, Coral Escola Comunicantus e Coral Universitário Comunicantus, com regência de Marco Antonio Silva Ramos

Programa:
1. Ronda (Paulo Vanzolini)
2. Abrigo de vagabundos ( Adoniran Barbosa)
3. A velhice da Porta-bandeira (Eduardo Gudin/Paulo César Pinheiro)

Resumo: 
A dissertação tem como objetivo a análise de sambas de compositores paulistas, a elaboração de arranjos corais para três obras selecionadas e a leitura e apresentação dos arranjos por coros com diversos perfis, domínios musicais e níveis de performance. Os autores representantes do samba paulista selecionados foram: Adoniran Barbosa, Eduardo Gudin e Paulo Vanzolini. Depoimentos, entrevistas e outros meios foram utilizados para contextualizar vida e obra dos compositores durante os processos de análise e de idealização dos arranjos. As análises foram ancoradas no Referencial Silva Ramos de Análise de Obras Corais. Os arranjos a quatro ou mais vozes foram elaborados com a utilização das características do gênero samba, procurando clareza estilística para que o chamado “balanço” possa acontecer sem a utilização de instrumentos de percussão ou acompanhamento: um samba a capela. Os arranjos foram lidos pelos coros comunitários e de estudantes de música do Comunicantus - Laboratório Coral do Departamento de Música da ECA/USP. As partituras estão apresentadas em um Caderno com dezoito arranjos (a maior parte escrita entre 2016 e 2018). O processo de criação dos três arranjos principais foi documentado em um Diário de bordo, que dialoga com os processos analíticos e os dados da pesquisa no decorrer do trabalho.
Palavras-chave: Adoniran Barbosa - Eduardo Gudin - Paulo Vanzolini. Samba paulista. Arranjos corais. Grupos corais do Comunicantus. Escrita coral para samba.


Defesa de Dissertação - Mariana Trento



Data: 21 de Novembro, Quarta-feira
Horário 19h
Local: Sala de Música do Espaço das Artes da ECA/USP

Nome Completo: Mariana Muchatte Trento

Título do trabalho: Estudo de densidade e direcionalidade musicais como recurso para o regente coral e sua performance

Nível:
Mestrado

Programa/ Linha de pesquisa: Processos de Criação Musical

Orientador: Marco Antonio da Silva Ramos

Banca:
Prof. Dr. Sidney José Molina Jr. – FAAM
Profa. Dra. Maria Lúcia Pascoal - UNICAMP

Apresentação: Coro de Câmara Comunicantus

Programa:
Chor der Engel – Franz Schubert
Salmo 22 – Claudia Alvarenga 

Resumo: 
Esse trabalho tem como objeto o estudo das variações de densidade e seu diálogo com direcionalidade nos processos de composição musical estabelecendo indicações para análise interpretativa. Uma vez que problematizamos os conceitos de densidade e direcionalidade, buscamos estabelecer leituras dessas variáveis tanto quanto ao seu comportamento harmônico, rítmico, contrapontístico, timbrístico, transformações de intensidade, seja vertical ou horizontalmente, quanto à trama psicológico-dramática nas relações entre texto e música, assim como no uso do silêncio. O pensamento metodológico está apoiado tanto no Referencial Silva Ramos de Análise de obras corais (2003), que deu origem as nossas reflexões sobre densidade e direcionalidade, quanto em outras referências, igualmente estruturais, que são: Wallace Berry (1976), Arnold Schoenberg (1969, 2012), Barenboim (2007, 2009), Riemann (1896), Menezes (2002, 2006) e Schenker (1996, 2000). Ao tratar diretamente do significado destes parâmetros na estrutura musical, buscamos responder a principal pergunta deste trabalho: como tais variáveis e seus entrelaçamentos podem contribuir para uma análise voltada para construção de possíveis futuras performances. Divide-se em três capítulo, no primeiro constituímos três premissas de densidade: i) densidade vertical, a partir da análise das obras de Berry (1976), ii) densidade horizontal, com base nos fundamentos composicionais de Schoenberg (2012), iii) densidade dramática, fundamentada a partir de Ramos (2003). Realizamos a análise do madrigal Moro Lasso de Carlo Gesualdo para compreender o significado da densidade na estrutura musical e a sua contribuição para uma análise voltada para performance. No segundo capítulo, desenvolvemos as ideias de direcionalidade como um movimento transformador, destacando a direcionalidade melódica e harmônica, caracterizando também na ausência desta, a adirecionalidade. Percebemos na revisão bibliográfica e análise comparativa conceitual, a importância do conflito e do contraste para a caracterização e/ou intensificação da direcionalidade. Por fim, na análise interpretativa da obra Salmo 22 de Claudia Alvarenga, apontamos para as variações de densidade, em toda sua abrangência, como um possível elemento formador dos conflitos, contrastes e estranhamentos influenciadores de direcionalidade. 

quinta-feira, outubro 11, 2018

CONGRESSO CORAL reunirá as três universidades estaduais paulistas





De 15 a 19 de outubro deste ano, pela primeira vez na história das três universidades estaduais paulistas, será realizado um congresso conjunto da área coral, dedicado a discutir a formação, performance e pesquisa na atualidade.

Unindo pesquisa acadêmica, atividades de formação, performance musical e debates, esta primeira edição será realizada no câmpus do Instituto das Artes da Unesp, em São Paulo, na Barra Funda.

A iniciativa é dos professores de canto coral, regência coral, repertório coral e técnica vocal da USP, Unesp e UNICAMP, que atuarão em mesas-redondas, minicursos, sessões de comunicação e ensaios corais. Será formado um Grande Coro do Festival, que será regido pelos professores de regência coral: Marco Antonio da Silva Ramos (USP), Paulo Moura e William Coelho (UNESP) e Carlos Fiorini (UNICAMP).

O regente carioca Carlos Alberto Figueiredo (UNIRIO) é o convidado especial para uma masterclass de regência coral, no primeiro dia de congresso. Samuel Kerr, regente, professor e arranjador, fará a Conferência de Abertura.

As mesas-redondas serão dedicadas a discutir desafios, perspectivas e tendências na formação e atuação do regente coral e na temática específica dos coros infantojuvenis, debates importantes para as perspectivas de expansão e profissionalização na área.

Estão confirmadas as presença dos professores Angelo José Fernandes (UNICAMP),  Paulo Moura (UNESP) e Marco Antonio da Silva Ramos (USP)  na mesa sobre formação e atuação do regente coral.  Na discussão sobre coros infantojuvenis, Ana Lúcia Iara Gaborim Moreira (UFMS) e Juliana Melleiro Rheinboldt (Instituto Bacarelli e Canarinhos da Terra) apresentarão suas perspectivas e experiências. 

Maestro Marco Antonio da Silva Ramos

Coro de Câmara Comunicantus

Os minicursos (com vagas limitadas em função do espaço) estão voltados a ampliar o conhecimento dos regentes e impulsionar suas práticas. Os temas abrangem Técnica Vocal para Coros, com os professores Angelo José Fernandes (UNICAMP) e Fábio Miguel (Unesp); Voz e Técnica de Alexander (Izabel Padovani), Arranjos Vocais de Repertório da Música Popular, (Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior - UFU) e Repertório de Música Brasileira, com a professora Susana Cecilia Igayara-Souza (USP).

A chamada de trabalhos foi feita em 3 diferentes modalidades: comunicações de pesquisas concluídas ou em andamento, pôsteres de projetos ou relatos de experiências corais e obras corais: composições e arranjos, que serão apresentadas e discutidas em sessões de comunicação oral.

Coordenada pela professora Susana Cecilia Igayara-Souza (USP), a comissão científica tem como integrantes Carlos Fiorini (UNICAMP), Caiti Hauck-Silva, Munir Sabag e  Carolina Andrade Oliveira (os três últimos ligados ao GEPEMAC-USP). A tabela de trabalhos aprovados já está divulgada no site do congresso, depois de passarem por aprovação e recomendações por especialistas em temas do canto coral. O objetivo é fazer um balanço da atividade, abrindo espaço tanto para as pesquisas de pós-graduação e Iniciação Científica que abordem temáticas corais, como para importantes projetos artísticos, educativos e sociais que têm a atividade coral como base e serão apresentados como pôsteres. O repertório novo está representado na chamada de obras corais, em que arranjadores e compositores poderão comentar suas obras e expor seus processos criativos.

A performance coral ficará a cargo dos corais das três universidades, que se apresentarão aos congressistas logo após o horário de almoço: Corais da Unesp, Coro de Câmara Comunicantus (USP) e Coro Contemporâneo de Campinas. 



SERVIÇO

I CONGRESSO DE CANTO CORAL – UNESP, USP, UNICAMP
15 A 19 de Outubro de 2018.
Local: UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Instituto de Artes
Rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271
Barra Funda - São Paulo

Inscrições no congresso, informações: