segunda-feira, abril 24, 2017

I Seminário GEPEMAC de pesquisas concluídas nas Artes do Canto



I Seminário GEPEMAC de pesquisas concluídas nas Artes do Canto


No próximo dia 27/04, 5a feira, o GEPEMAC promove o I Seminário de Pesquisas concluídas nas Artes do Canto. São seis diferentes expositores, com temáticas, objetivos e metodologias distintas, mas sempre ligados, de alguma forma, às Artes do Canto.
Convidamos toda a comunidade acadêmica de professores, pesquisadores e alunos e também os regentes, cantores, professores e profissionais ligados às Artes do Canto.
Os trabalhos serão divididos em três sessões, distribuídas entre manhã, tarde e noite do dia 27 de Abril.
A entrada é franca, não é necessária inscrição prévia e serão concedidas declarações de participação para fins de comprovação de currículo.
Veja abaixo a programação e os resumos dos trabalhos. Fique atento aos locais, o evento começa no prédio central da ECA e continua no Departamento de Música.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA


27 de abril de 2017, quinta-feira
Sessão 1: das 10h às 11h45
Local: Prédio Central da ECA-USP, Sala 208 (2º andar)
Coordenação da mesa: Ana Lucia Gaborim Moreira
Relatora: Denise Castilho Oliveira
Cronometrista: Mirella Napolitano

Expositores:
Entre palcos e páginas: a produção escrita por mulheres sobre música na história da educação musical no Brasil (1907-1958)
Susana Cecília Almeida Igayara-Souza (líder do GEPEMAC)

Dicção, expressividade e escolhas do regente em obras corais em alemão: discutindo relações entre escritos e gravações
Caiti Hauck-Silva 

* * *

27 de abril de 2017, quinta-feira
Sessão 2: das 17h30 às 19h
Local: Departamento de Música da ECA-USP, Sala 14 A
Coordenação da mesa: Caiti Hauck-Silva
Relatora: Selma Boragian
Cronometrista: Anne Karoline Moreira

Expositores:
Os elementos composicionais do Clube da Esquina como alimentadores de processos criativos de arranjos vocais de canções populares brasileiras
Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior

Regência coral infantojuvenil: aspectos técnicos e pedagógicos
Ana Lúcia Iara Gaborim Moreira
* * *

27 de abril de 2017, quinta-feira
Sessão 3: das 20h30 às 22h
Local: Departamento de Música da ECA-USP, Sala 14 A
Coordenação da mesa: Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior
Relatora: Gina Falcão
Cronometrista: Carolina Andrade Oliveira

Expositores:
A contribuição de Furio Franceschini e Martin Braunwieser para o canto coral artístico em São Paulo: práticas interpretativas de música europeia, com ênfase na Paixão Segundo São João de J. S. Bach
Ana Paula dos Anjos Gabriel

Análise interpretativa de cinco obras corais sacras do compositor Ernani Aguiar
Mariana Ferraz Simões Hammerer

Equipe de organização:
Susana Cecilia Igayara-Souza
Caiti Hauck-Silva
Jane Borges


RESUMO DAS PESQUISAS



Entre palcos e páginas: a produção escrita por mulheres
sobre música na história da educação musical no Brasil (1907-1958)
Susana Cecília Almeida Igayara-Souza
Ano de conclusão: 2011
Nível: Doutorado
Orientadora: Dra. Cynthia Pereira de Sousa
Banca da defesa: Cynthia Pereira de Sousa (FEUSP), Aníbal Bragança (UFF), Maura Penna (UFPB), José Eduardo Martins (ECA_USP),
Maria Lúcia Hilsdorf (FEUSP).


Estudo histórico que tem por objetivo localizar e analisar a produção escrita por mulheres sobre música, relacionada a diversos contextos educacionais no Brasil, durante as primeiras cinco décadas do século XX. Como fontes, foram consultadas as publicações inventariadas na pesquisa, documentos manuscritos de arquivos históricos, documentos oficiais, periódicos, iconografia e arquivos pessoais de professoras. O 1o capítulo é dedicado a uma visão de conjunto sobre a produção escrita por mulheres sobre música. O capítulo 2 analisa as primeiras décadas e estabelece uma discussão sobre as representações de “música brasileira” e “europeia” na educação musical. O capítulo 3 trata da música na escola formal e da participação de mulheres no canto orfeônico, considerando o processo de institucionalização e escolarização da música e o papel da publicação de hinários, cancioneiros e livros didáticos nesse processo. O capítulo 4 aborda a formação de professores e a pedagogia da escola nova, destacando os conflitos na historiografia e na prática do canto orfeônico. O capítulo 5 concentra-se na formação artística, tendo por foco o ensino especializado de música, a presença de mulheres na atividade artística e as representações sobre o feminino. São analisados três exemplos da produção escrita, como dispositivos de inscrição no campo musical. Nas considerações finais, discute-se a função da memória (individual e coletiva) e sua relação com as práticas e as representações encontradas sobre a professora de música (em suas múltiplas atuações). Entre as principais noções e conceitos utilizados estão: campo (principalmente campo artístico), habitus, doxa e capital cultural, de Pierre Bourdieu; práticas, representações e apropriação, de Roger Chartier, bem como sua discussão metodológica (sobre a história do livro e da leitura) e teórica (sobre cultura escrita); estratégias e táticas, de Michel de Certeau, assim como sua análise da “operação historiográfica”. O conceito de gênero, presente em diversos autores, permitiu tratar a produção escrita por mulheres como conjunto, de forma relacional. Para a história das mulheres, tivemos como principal referência Michelle Perrot. A produção acadêmica em história da educação, sobretudo a brasileira, auxiliou a definição e exploração do tema, assim como as pesquisas musicológicas recentes. Um dos resultados da pesquisa foi um inventário de livros publicados (46 autoras e 100 obras), com a identificação de editoras, instituições, temáticas e modalidades de ensino musical praticadas na primeira metade do século XX no Brasil. Como parte das conclusões, a produção escrita sobre música é vista como intrínseca à profissão docente, utilizada como estratégia de valorização profissional e pessoal. As práticas de leitura e escrita (textual e musical) foram adquiridas no ambiente escolar, no espaço social da família e nas instituições de formação artística. Constata-se uma diversidade de processos de publicação, entre eles: iniciativas particulares das autoras; projetos editoriais, inclusive os patrocinados por governos estaduais ou pelo federal; programas institucionais para provimento de material didático adaptado às exigências legais; requisito formal para o ingresso no magistério superior.

Dicção, expressividade e escolhas do regente em obras corais em alemão:

discutindo relações entre escritos e gravações
Caiti Hauck-Silva
Ano de conclusão: 2017
Nível: Doutorado
Orientador: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos
Banca da defesa: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos (ECA-USP), Dr. Luiz Ricardo Basso Ballestero (ECA-USP), Dr. Mário Rodrigues Videira Junior (ECA-USP), Dr. Carlos Alberto Figueiredo Pinto (UNIRIO), Dr. Angelo José Fernandes (UNICAMP)

A performance coral requer que o regente faça uma série de escolhas técnicas e interpretativas. Um dos elementos a respeito dos quais o regente faz escolhas é a dicção do texto cantado, visto que a notação musical ocidental não especifica o exato instante de articulação, a duração ou a dinâmica de vogais e consoantes. Manuais de regência coral geralmente discutem a dicção em termos de uniformidade de pronúncia e clareza de enunciação, ou também de sua relação com a homogeneidade do timbre coral e/ou com uma linha legato. Entretanto, são poucos os escritos sobre regência coral que explicitam possíveis durações, dinâmicas e/ou instantes de articulação de vogais e consoantes, e ainda mais raros aqueles que exemplificam como tais escolhas podem contribuir para uma performance expressiva. Nas últimas décadas, houve um aumento de pesquisas sobre a expressividade na performance, contudo poucas mencionam que a maneira como o texto é pronunciado pode colaborar com a expressividade. Ademais, pouco se sabe sobre os efeitos expressivos da dicção em performances especificamente corais. Esta pesquisa estudou as escolhas interpretativas de regentes quanto à dicção do texto em obras corais cantadas em alemão, visando a observar os efeitos dessas escolhas na expressividade da performance coral. Para isso, foi usado um conjunto de métodos e técnicas, incluindo estudos bibliográficos e estudos de caso, entrevistas com regentes, análises de partituras, assim como análises de gravações feitas com o software Sonic Visualiser. Os resultados sugerem que, em situações específicas, a dicção pode ter um papel central na expressividade da performance, sendo eventualmente tão ou mais significativa que aspectos mais comumente analisados, como variações de andamento, portamento ou vibrato.


Os elementos composicionais do Clube da Esquina como alimentadores de processos criativos de arranjos vocais de canções populares brasileiras
Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior
Ano de conclusão: 2016
Nível: Doutorado
Orientador: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos
Banca da defesa: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos (ECA-USP), Dr. Hermilson Garcia do Nascimento (UNICAMP), Dr. Ivan Vilela Pinto (ECA-USP), Dra. Marisa Trench de Oliveira Fonterrada (IA-UNESP), Dr. Ronaldo Coutinho de Miranda (ECA-USP)
Este trabalho propõe-se a criar um conjunto de procedimentos de estruturação de arranjos vocais próprio a partir da análise dos elementos composicionais presentes nas músicas produzidas pelo agrupamento de músicos conhecidos pelo termo Clube da Esquina. Visa explorar a ideia de que a análise estilística também pode inserir-se como recurso relevante dentro da dinâmica de apreensão e experimentação dos parâmetros de estruturação musical inerentes ao processo de criação de arranjos para grupos vocais. Busca extrair, a partir de uma experiência de imersão em um determinado repertório, no caso, do Clube da Esquina, recursos que, após analisados, teorizados e interiorizados, retornam ressignificados e recontextualizados, expandindo o âmbito do processo de expressão artística e de constituição da própria identidade poética do arranjador. Em suma, a pergunta central é: Como os elementos composicionais presentes nas obras do conjunto de músicos conhecidos como Clube da Esquina podem contribuir, enquanto recursos de estruturação musical, na elaboração de arranjos vocais de música popular urbana? Balizado pelo referencial Silva Ramos (2003), foram elencados 22 elementos composicionais a partir do processo de escuta analítica de 22 discos lançados pelo Clube da Esquina entre os anos de 1967 a 1979. Esses elementos foram esmiuçados teoricamente e trabalhados no processo de criação de arranjos vocais de oito canções populares brasileiras, duas internas ao repertório do Clube da Esquina e seis de compositores e períodos diversos. Os detalhamentos de como os elementos composicionais do Clube da Esquina concatenam-se com as experimentações quanto ao tratamento harmônico, das interações rítmicas, textural, timbrístico e formal nos arranjos estão explicitados na última parte do trabalho. Questões teóricas e conceituais que envolvem a prática do arranjo vocal na música popular, tais como o próprio conceito de arranjo, conceito de obra e técnicas comumente utilizadas no processo de escrita de arranjos vocais na atualidade são tratadas inicialmente, assim como a contextualização histórica do Clube da Esquina e uma breve revisão dos referenciais teórico-metodológicos. Como conclusão, apresentamos, em forma de diagrama, como os elementos composicionais do Clube da Esquina, em conjunto com as principais técnicas de escrita de arranjos vocais, conectam-se com as experimentações inerentes ao próprio processo de criação de tais arranjos.

Regência coral infantojuvenil: aspectos técnicos e pedagógicos

Ana Lúcia Iara Gaborim Moreira
Ano de conclusão: 2015
Nível: Doutorado
Orientador: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos
Banca da defesa: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos (ECA-USP), Dr. bio Cardozo de Mello Cintra (ECA-USP), Dr. Marcos Câmara de Castro (USP-RP), Dr. Ângelo José Fernandes (UNICAMP), Dra. Jane Borges de Oliveira Santos (UFSCar)
O trabalho traz uma abordagem diversificada acerca da Regência coral infantojuvenil e foi estruturado a partir de três diferentes e concomitantes frentes de pesquisa. Parte-se de uma pesquisa social com 52 regentes que, em suas respostas ao questionário apresentado, identificam características, desafios e dificuldades de ordem social e técnica no desenvolvimento de seus grupos e nos oferecem dados sobre o atual contexto em que a atividade coral é realizada. Com a análise desses dados, foram eleitos três focos de pesquisa bibliográfica, referentes às principais questões colocadas pelos regentes: a própria Regência, a Técnica Vocal e a Educação Musical. Assim, foram levantados pontos de vista de variados autores referentes a esses itens,que tradicionalmente fazem parte da formação do regente e compõem o conjunto de saberes, competências e habilidades desse profissional. Segue-se uma discussão sobre elementos estruturais dos coros e sobre os aspectos de um planejamento em canto coral, visando facilitar e organizar as tarefas do regente, especialmente no que concerne aos procedimentos de ensaio e aos processos de criação e recriação na música coral. A pesquisa-ação foi realizada a partir do PCIU! (Projeto Coral Infantojuvenil da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), um grupo coral infantojuvenil criado especificamente para os fins desta pesquisa, que perpassa toda a discussão e sintetiza o todo, na medida em que se observa o desenvolvimento do coro e se analisam as atividades e escolhas técnicas presentes nos ensaios. As dificuldades relatadas pelos colegas regentes corais participantes da pesquisa servem de pano de fundo permanente ao processo reflexivo e interagem com as práticas do PCIU!, em uma pesquisa coesa que une teoria e prática e se consolida em um trabalho artístico de performance musical.

Acontribuição de Furio Franceschini e Martin Braunwieser
para o canto coral artístico em São Paulo: práticas interpretativas de música europeia, com ênfase na Paixão Segundo
o João de J. S. Bach
Ana Paula dos Anjos Gabriel
Ano de conclusão: 2016
Nível: Mestrado
Orientadora: Dra. Susana Cecília Almeida Igayara-Souza
Banca da defesa: Dra. Susana Cecilia Igayara-Souza (ECA-USP), Dr. Mário Rodrigues Videira Júnior (ECA-USP), Dr. Paulo Celso Moura (IA-UNESP)


Estudo histórico de práticas interpretativas de Furio Franceschini (1880-1976) e de Martin Braunwieser (1901-1991) relacionadas a performances que ambos realizaram, como regentes corais, na cidade de São Paulo. Os dois maestros foram proeminentes regentes corais na cidade e regeram uma quantidade significativa de performances musicais com coros. Restringimos nossa pesquisa a performances artísticas de obras musicais de origem europeia na cidade de São Paulo. As informações a respeito das práticas foram obtidas através de um conjunto de fontes documentais estabelecido especialmente para a pesquisa, através da consulta e visita a acervos físicos de São Paulo, bem como acervos digitais. A partir das informações obtidas das fontes, realizamos um levantamento de performances musicais de obras do repertório europeu que permitiu a identificação de um panorama geral de práticas empregadas pelos maestros em suas performances. Também realizamos, nesta pesquisa, um estudo de caso com as performances de Franceschini e Braunwieser da Paixão segundo São João BWV 245 de Johann Sebastian Bach (1685-1750). A pesquisa adotou um referencial teórico multidisciplinar que abrange autores da Nova História Cultural, da História da Música, da História da Performance e de Estudos em Performance e Práticas Interpretativas. O referencial teórico e os procedimentos de pesquisa que adotamos proporcionaram a identificação, contextualização e discussão das práticas interpretativas mais presentes na atividade de ambos como regentes corais, associadas ao repertório europeu e à atividade coral artística dos dois maestros. Avaliamos que essas práticas interpretativas foram uma contribuição valiosa desses maestros para o canto coral artístico em São Paulo. Com a presente dissertação pretendemos, portanto, contribuir com os estudos acadêmicos e a discussão de parte desse importante legado artístico de Furio Franceschini e Martin Braunwieser para o canto coral em São Paulo.

Análise interpretativade cinco obras corais sacras do
compositor Ernani Aguiar
Mariana Ferraz Simões Hammerer
Ano de conclusão: 2015
Nível: Mestrado
Orientador: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos
Banca da defesa: Dr. Marco Antônio da Silva Ramos (ECA-USP), Dr. Ronaldo Coutinho de Miranda (ECA-USP), Dr. Marcos Júlio Sergl (Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação)

Este trabalho busca apresentar uma análise focada na interpretação de cinco obras sacras para coro à cappella do compositor Ernani Aguiar. As obras são: Três Motetinos n° 1 (1975-1978), Três Motetinos n° 2 (1982), Três Motetinos n° 3 (1980-1986), Três Motetinos n° 4 e Três Motetinos n° 5 (1992). A metodologia de análise musical está sustentada a partir do Referencial Silva Ramos de Análise de Obras Corais, respondendo as questões pertinentes e depois transformando-as em texto corrido. Apresentamos um pequeno texto sobre sua trajetória de vida, mostrando sucintamente a atividade de Ernani Aguiar como compositor, regente e professor. Em seguida elencamos o conjunto de sua obra coral sacra para coro à cappella, apresentando informações como data de composição, texto utilizado, estreias e gravações das mesmas. Ainda, apresentamos a fundo outros detalhes sobre as composições das cinco obras estudadas. Na continuidade, apresentamos as análises de cada uma das cinco obras e discutimos pontos que ocorreram durante nosso processo de chegada a uma concepção para performance das mesmas. E é na esteira desse trabalho que abordamos as constâncias composicionais de Aguiar, seu modo de escrita e algumas de suas escolhas estéticas, concluindo assim esta dissertação.