quinta-feira, dezembro 17, 2009

Férias / Atividades em 2010

Depois de um ano muito ativo , o Comunicantus: Laboratório Coral entra em férias. Retomaremos nossas atividades em 2010 a partir do dia 22 de fevereiro, data do início das aulas na USP.

Antes disso, você pode se comunicar com a gente por e-mail

(comunicantus.usp@gmail.com)

Desejamos um ótimo 2010 para todos os coralistas, alunos de graduação e pós-graduação, professores e a todo o público que participou do Comunicantus em 2009. Que 2010 venha com muita música: cantando sempre, imaginando um mundo cada vez melhor, criando coisas belas e promovendo o encontro entre as pessoas.

2009:

De 23 de dezembro a 03 de janeiro – Recesso na USP (não há expediente)

04 de janeiro a 08 de janeiro – Comunicantus em férias, atendimento por e-mail.

10 de janeiro a 24 de janeiro – Professores Marco Antonio da Silva Ramos e Susana Cecília Igayara ministrarão curso de Regência, Repertório e Canto Coral no Festival Música nas Montanhas, em Poços de Caldas, MG.

(inscrições abertas pelo site www.festivalmusicanasmontanhas.com.br)

25 de janeiro – feriado

26 de janeiro a 09 de fevereiro – férias dos professores Marco Antonio e Susana

A partir de 10 de fevereiro – atendimento por e-mail (exceto nos feriados de Carnaval)

22 de fevereiro – início das aulas na USP


Março – início dos ensaios e testes para novos integrantes.


Coral Oficina Comunicantus:

Inscrição e classificação vocal: quarta-feira, 03 de março às 17h (sala 15A)

Retorno dos ensaios: quarta-feira, 03 de março às 18h (auditório Olivier Toni)

Coral da Terceira Idade da USP:

Retorno dos ensaios: sexta-feira, 05 de março às 14hs (sala 14A)

Inscrição e classificação vocal: sexta-feira, 12 de março às 14hs (sala 15A)

Coral Escola Comunicantus:

Inscrição e classificação vocal: sexta-feira, 05 de março às 17h30 (sala 15A)

Retorno dos ensaios: sexta-feira, 05 de março às 18h30 (auditório Olivier Toni)

Apresentações Comunicantus 2009

Veja abaixo a tabela-resumo das apresentações realizadas em 2009 pelo Comunicantus:


Mês

Dias

Evento

Coros

Local

Maio

30

Coral Cultura Inglesa convida

Studio Coral-Vozes Femininas

Auditório do CBB – Centro Britânico Brasileiro

Setembro

2 e 3

Carmina Burana

Coral da ECA-USP, Comunicâmara e Studio Coral-Vozes Femininas

Teatro do Colégio Santa Cruz

Outubro

8

Semana Cultural da Creche Pré-Escola Oeste

Coseas-USP

Coral Oficina Comunicantus

Creche Pré-Escola Oeste

Coseas-USP

Outubro

18

Itatiba 152 anos

Studio Coral-Vozes Femininas

Teatro Municipal Ralino Zambotto em Itatiba

Novembro

13

VII Semana de Educação 2009

Coral Escola Comunicantus

Faculdade de Educação

FE-USP

Novembro

25

Vozes de Villa

Coral Escola Comunicantus, Coral da Terceira Idade da USP (Coro convidado: CoralUSP XI de Agosto)

Grande Auditório do MASP

Novembro

26

Vozes de Villa

Coral da ECA-USP e Studio Coral-Vozes Femininas

Grande Auditório do MASP

Dezembro

6

Festival Leo Brouwer

Studio Coral-Vozes Femininas

Grande Auditório do MASP

Dezembro

10

Festival Leo Brouwer

Coral da ECA-USP

Auditório Camargo Guarnieri - USP

Coral da ECA no Festival Leo Brouwer 2009


Na quinta-feira passada, dia 10 de dezembro, o Coral da ECA-USP participou do Festival Leo Brouwer 2009. A apresentação foi realizada no Anfiteatro Camargo Guarnieri e o programa contou com as seguintes obras:

Calixto Álvares

Lacrimosa, do Réquiem de Osún
Solo: Ráina Magdalon

Heitor Villa-Lobos

1 - Sapientia foris predicat

4 - Vir sapiens
5 - Beatus homo
de Bendita Sabedoria (seis corais a capela sobre palavras da bíblia) Paris, 1958

Leo Brouwer

Tengo un gato

Nana Caliche

Cuando tuve, yo te tuve

de Rondas, Refranes y Trabalenguas

Veja aqui as fotos do ensaio.


quinta-feira, novembro 19, 2009

VOZES DE VILLA - CONCERTOS COMEMORATIVOS AO ANO VILLA-LOBOS

Fonte da imagem: http://www.jornallivre.com.br/171269/biografia-de-heitor-villa-lobos.html


Reserve em sua agenda às seguintes datas para prestigiar o Comunicantus: Laboratório Coral nas apresentações dos coros em comemoração ao ano Villa-Lobos.

Os concertos serão realizados nos dias 25 e 26 de novembro às 20hs no Grande Auditório do MASP – Museu de Arte de São Paulo (Av. Paulista, 1578)

Vozes de Villa

Nossa principal homenagem a Villa-Lobos não é a inclusão de suas obras, hoje parte do repertório internacional de grandes coros, nem uma retomada de sua trajetória histórica, o que tem sido feito nas inúmeras publicações no Brasil e no exterior, além de filmes e reportagens, nem tampouco um balanço de sua influência na cultura brasileira, tema de tantas discussões artísticas e acadêmicas.

Viemos para esta homenagem com o que temos de mais simples – nossas vozes – e, ao mesmo tempo, com uma mostra da variedade de perfis corais em nosso ambiente universitário atual. As Vozes de Villa, neste sentido, somos todos nós que praticamos o canto coral.

O repertório escolhido traz, obviamente, algumas obras de Villa-Lobos: um exemplo do Guia Prático, obra didática que serviu aos cursos de canto orfeônico e à atividade coral amadora das últimas décadas e dois arranjos corais simples sobre melodias de Villa-Lobos, a modinha arranjada por Aricó Jr. e a melodia do Trenzinho do Caipira, que ganhou vida própria em inúmeros arranjos, como este que apresentamos, feito por um de nossos alunos como parte da atividade didática no Comunicantus. Como exemplo da obra religiosa coral, O Coral da ECA apresenta partes de Bendita Sabedoria, obra de grande densidade, intensidade e beleza.

Mas os coros que se apresentam em Vozes de Villa trazem outros repertórios. O Coral Escola Comunicantus, em sua trajetória como espaço de formação de coralistas e regentes, abordou este ano alguns exemplos do repertório coral barroco, que era tão caro a Villa-Lobos, tanto como repertório artístico como em sua função didática.

Os arranjos corais, praticados em larga escala por Villa-Lobos, conquistaram cada vez mais espaço e se tornaram o núcleo principal de repertório dos coros amadores no Brasil. As canções conhecidas pelos meios de comunicação e as canções tradicionais brasileiras, muitas associadas à infância, são a matéria prima dos arranjos corais para as mais diversas formações. Muitas vezes são feitos pelos próprios regentes, num esforço de adaptação de uma canção conhecida para o meio de expressão coral, que possui características próprias do conjunto de vozes.

Trazemos também obras do repertório brasileiro e internacional criadas por compositores eruditos que se dedicaram não apenas ao Canto Coral. O exemplo das canções tradicionais retorna com Vaughan Williams, contemporâneo de Villa-Lobos. Alguns diálogos com o passado são estabelecidos, como a presença de Alberto Nepomuceno, outro mestre a ser constantemente lembrado. São parte de uma história longa e uma dinâmica constante entre transformações e permanências que têm feito do canto coral uma prática musical largamente praticada, nos mais variados lugares.

No Brasil, sem dúvida, Villa-Lobos foi um dos maiores compositores e grande incentivador da atividade coral. Cantar foi nossa maneira de homenageá-lo.


Susana Cecília Igayara

Professora de Repertório Coral / Departamento de Música da ECA-USP



25/11

Coral Escola Comunicantus. Regentes: Caiti Hauck, Filipe Fonseca, Márcio Ocon, Nicolás Salaberry, Fred Teixeira, Thiago Tavares. Programa: Homenagem a Villa-Lobos: repertório barroco e canções populares.

Coral da 3ª Idade da USP. Regentes: Eliézer Felipe, Isaac Terceros, Márcio Ocon, Fred Teixeira, Rodrigo Báez, Thiago Tavares. Programa: obras sacras e canções populares. Coordenação e Supervisão dos coros do Comunicantus: Marco Antonio da Silva Ramos e Susana Cecília Igayara.


CoralUSP XI de Agosto. Regente: Eduardo Fernandes. Programa: A Vanguarda Paulista dos anos 80.



26/11

Homenagem a Villa-Lobos e inauguração do Projeto Magister Musicae na USP (solenidade de assinatura do convênio entre a ECA-USP e a Fundação Albéniz, de Madrid)

Studio Coral – Vozes Femininas. Regente: Marco Antonio da Silva Ramos. Preparação Vocal: Susana Cecília Igayara. Piano: Israel Andrade. Programa: Homenagem a Villa-Lobos: Música brasileira e música ibérica.


Coral da ECA-USP. Regente: Marco Antonio da Silva Ramos. Programa: Calixto Álvares: Lacrimosa. Villa-Lobos: Bendita Sabedoria.



Contamos com a sua presença!
Ingressos (R$8,00 e R$4,00) estão à venda na bilheteria do MASP das 11hs às 17hs (exceto segunda-feira)


Programas dos Coros:










terça-feira, novembro 03, 2009

Ópera Pagliacci, no Theatro São Pedro, terá o coro preparado pelo Maestro Marco Antonio da Silva Ramos


Veja as fotos do Maestro Marco Antonio da Silva Ramos em ensaio do coro da ópera Pagliacci, de Leoncavallo, que estreia dai 11 de novembro, no Theatro São Pedro, em São Paulo. A ópera, que será apresentada com piano, com a participação de um grupo de instrumentos, tem concepção e direção de Livia Sabag, que é filha do Maestro Marco Antonio.

Alguns alunos e ex-alunos do Comunicantus fazem parte do coro, que traz também cinco crianças. Não deixe de ver!

Mais informações no site do Theatro São Pedro:

http://www.theatrosaopedro.org.br/








quinta-feira, outubro 29, 2009

SIMPÓSIO INTERNACIONAL VILLA-LOBOS

Fonte da imagem: http://oglobo.globo.com/blogs/arquivos_upload/2009/04/275_1615-villa1.JPG

Comunicantus convida para a mesa de debate:


Pesquisa, repertório e práticas em Canto Coral a partir do legado de Villa-Lobos


A ligação entre Villa-Lobos e o Canto Coral no Brasil é por todos reconhecida. Os 50 anos de sua morte são um momento chave para uma discussão sobre as transformações ocorridas, a diversidade das atividades corais, os desafios e possibilidades futuras.

Prof. Dr. Marco Antonio da Silva Ramos - Comunicantus: Laboratório Coral da ECA-USP


Prof.ª Me. Susana Cecília Igayara - Comunicantus: Laboratório Coral da ECA-USP e Faculdade de Educação da USP (doutoranda)


Prof. Cadmo Fausto - Universidade de Sorocaba e Conservatório Estadual Dr. Carlos de Campos (Tatuí) - Mestrando em Comunicação na UNISO


Dia 21 de novembro (sábado), das 14h30min às 16h.

Pequeno Auditório do MASP.

Av. Paulista, 1578.

Entrada Franca

terça-feira, outubro 06, 2009

FOTOS DO CONCERTO CARMINA BURANA

foto: Andrea Costa

CONFIRA AQUI AS FOTOS DO CONCERTO DO TEATRO SANTA CRUZ!


segunda-feira, outubro 05, 2009

Coral Oficina apresenta-se para as crianças da Creche Oeste da USP



No mês da criança, o Coral-Oficina, o mais novo grupo do Comunicantus: Laboratório Coral fará uma apresentação para as crianças no próximo dia 08 de outubro, 5a feira, às 17 horas. O evento é exclusivo para os alunos, pais e professores da creche.

Para as crianças, é uma oportunidade de entrar em contato com o Canto Coral, ouvir música, ver um regente coral em atuação.

Para o Coral-Oficina, formado por estudantes de graduação e pós-graduação, é uma ótima oportunidade de apresentar os resultados deste ano de 2009 para um público sempre curioso e exigente, como são as crianças.

Para o Comunicantus: Laboratório Coral, mais uma vez, é uma alegria poder participar de um evento cultural de uma unidade da USP e compartilhar o trabalho do nosso laboratório com o público.


Para os coralistas do Coral-Oficina

Chegada: 17 horas, na Creche Oeste da USP, ou 16:30 no Departamento de Música, pois os alunos de música sairão de lá. (o aquecimento será feito na creche)

Repertório: acabaremos de definir na 4a feira, mas provavelmente cantaremos o cânone Tim Tom (vamos ensinar para as crianças?), La Merveille de la Musique, Na Bahia tem, Trenzinho do Caipira.

Uniforme: não precisamos de um uniforme, mas um jeans com uma camiseta colorida vai muito bem!


Aos regentes:

É bom pensar em dizer alguma coisa sobre cada música para as crianças. Os pais e os educadores também estarão lá.

Local: Creche Oeste da USP: Av. Almeida Prado, 1280 (fones 30914807/30914999 (perto do Museu de Etnologia)

Dia e horário: 5a feira, 08 de outubro

quinta-feira, setembro 24, 2009

Jornal da USP

Leia a matéria do Jornal da USP:

segunda-feira, agosto 31, 2009

Carmina Burana notas de programa (Carmen Helena Téllez)

Carmina Burana: um concerto alegórico

Vejam o texto em que a professora Carmen Helena Téllez explica sua concepção artística para os concertos desta semana




Carmina Burana – Notas de programa

Carmen-Helena Téllez

O evento desta noite pode ser definido como uma apresentação alegórica ilustrada de uma composição muito popular, ainda que misteriosa. Carmina Burana é a obra mais conhecida do controverso compositor alemão Carl Orff. Com sua famosa abertura "O Fortuna" utilizada em diversos filmes e comerciais e seus empolgantes ritmos sobre sexo e jogos de azar, Carmina Burana é apresentada praticamente todos os dias, em algum lugar do planeta. Ainda assim, o compositor considerou essa composição como a mais obscura e enigmática das suas obras. Esse comentário do artista abre a possibilidade de que Carmina Burana possa ser uma máscara para uma mensagem subjacente.

As pesquisas recentes sobre Orff e sua obra focaram na sua conivência com o regime nazista e na sua omissão em prestar ajuda ao seu amigo e colega, o musicólogo Kurt Huber, quando este foi preso por liderar o movimento de resistência "Rosa Branca". O persuasivo filme de Tony Palmer, O Fortuna, assim como os convincentes escritos de Kater, Fassone, Taruskin e outros sugerem que Orff mentia e, alternadamente, sentia-se atormentado por essa questão. Apesar de nunca ter sido provado que Orff era um membro do partido nazista, ele hoje é visto como um carreirista perspicaz, um homem tomado pelo "sacro egoísmo" de artista, que apesar de ser julgado por alguns como conservador e indigno por ter se vendido, é respeitado por outros como uma figura influente nos campos da educação musical e da música para cinema.

Os textos e a inspiração para Carmina Burana surgem de um manuscrito medieval de mesmo nome, encontrado na Abadia de Benediktbeuern, na Bavária. É uma coleção de canções e poemas escritos entre os séculos XI e XIII em latim, alemão, francês e outras línguas, por goliardos – universitários itinerantes da época. Hoje, a Carmina Burana medieval alcançou o nível de símbolo da unidade europeia, por representar um tempo em que acadêmicos facilmente viajavam de região para região, todos falando latim, mas ao mesmo tempo preservando e disseminando a cultura vernácula. Entretanto, é pouco provável que Orff tenha se empolgado com esta ideia em 1937, ano em que a obra foi composta e estreada. Em vez disso, esse projeto representava seu interesse na música antiga.
Orff classificou Carmina Burana como uma coleção de "canções seculares para cantores e coros, para serem cantadas junto com instrumentos e imagens mágicas". Esse subtítulo levou a muitas produções cênicas de Carmina Burana, frequentemente como balé. A produção de hoje não seguirá esse caminho: ela deve ser considerada como um concerto que demonstra os símbolos e alegorias sugeridas por pesquisas sobre Orff e por comentários do próprio compositor. Na forma de emblemas medievais, os textos originais representam um tipo de inscriptio, o significado evidente, enquanto nossa interpretação aparece como um subscriptio, a revelação de um conteúdo mais abrangente, embora escondido.

A produção não representa a vida de Orff mas, usando suas experiências como exemplo, medita sobre o terrível destino de artistas vivendo em um regime fascista. A crueldade desse destino, para o artista, pode ser não apenas o exílio, o ostracismo ou pior, mas também o fato de que uma necessidade de aquiescência pode destruir a sua alma.

Carl Orff diz no filme de Palmer, O Fortuna, que " onde você nasce e quando você nasce é tudo”. Em outras declarações ele também revelou sua crença em que o mundo é tudo o que existe, e que depois deste mundo, não há nada. Essas ideias são bastante consistentes com interpretações esotéricas do significado da Fortuna, como uma das cartas do Tarô, e como um difundido emblema em manuscritos da Idade Média, incluindo a Carmina Burana. O professor da Universidade de Indiana John Woodcock comentou que a lição a ser aprendida é que estamos todos andando sobre a Roda da Fortuna, que inexoravelmente sobe e desce, e nós dançamos em seu topo da melhor forma que conseguimos. Além disso, os emblemas insistem em que a Fortuna é cega e que o homem que a seguir será levado por um mal caminho. Destes significados empíricos podemos prosseguir para significados mais metafísicos, como a Fortuna significando os grandes ciclos do universo, e por extensão, o karma. Essas interpretações podem explicar porque o famoso exordium da obra, o refrão "O Fortuna", tem um caráter sombrio e premonitório, contrastando com a sensualidade orgiástica demonstrada no resto da peça.

Carl Orff considerava-se um herdeiro dos mitos da humanidade e das mensagens arquetípicas da tragédia grega. Ele fez versões de Édipo e Antígona, assim como de um conto dos irmãos Grimm, Der Mond (A Lua). Na verdade, entre todos os símbolos presentes em seu trabalho, a Lua é o que aparece com mais frequência. Sua Carmina Burana abre com uma referência direta à Lua e, nesta produção, a Fortuna e a Lua tornam-se permutáveis. Em interpretações arquetípicas, assim como no Tarô esotérico, a Lua representa o feminino, o inconsciente, a relação com as massas e a decepção.

Apesar de esta produção não ser uma biografia de Carl Orff, uma pequena referência à sua experiência pessoal está inserida no segundo quadro. Sabe-se que o musicólogo Kurt Huber ajudou Orff em sua composição e na pesquisa para Carmina Burana. Seu sacrifício como líder do movimento Rosa Branca, somado ao sacrifício de sua aluna Sophie Scholl é oferecido aqui como uma representação do sacrifício de todos aqueles que lutaram pelo resgate do verdadeiro espírito alemão e de todos aqueles que sofrem sob regimes autoritários de todas as vertentes políticas. Somos gratos ao especialista Jud Newborn por sua pesquisa sobre esse trágico estágio da história europeia.

(Tradução: Rafael Igayara da Silva Ramos)

terça-feira, agosto 25, 2009

CONCERTOS CARMINA BURANA


O Comunicantus: Laboratório Coral do CMU-ECA-USP convida para os dois
concertos em que será apresentada a obra Carmina Burana, de Carl
Orff.
O evento faz parte do convênio de cooperação internacional entre o
Departamento de Música da ECA-USP e a Jacobs School of Music da
Universidade de Indiana.

Os ingressos já estão à venda pelo ingresso rápido:

http://201.77.198.54/ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=7835

ou através do telefone: 4003-1212.

terça-feira, agosto 18, 2009

CONVITE: PALESTRAS COM A PROF.ª DRA. CARMEN TÉLLEZ

19 de agosto (quarta-feira), 10hs na sala 8: Repertório Coral no século XX;

24 de agosto (segunda-feira), 15hs na sala 14A: Universidade e Internacionalização: o caso do Latin American Music Center;

26 de agosto (quarta-feira), 15hs na sala 8: Repertório Coral no século XXI – Perspectivas.




sexta-feira, julho 31, 2009

TESTES SUSPENSOS TEMPORARIAMENTE E ADAPTAÇÕES NA AGENDA

A Universidade de São Paulo, como medida preventiva contra a gripe Influenza A (H1N1), decidiu por prorrogar as férias dos alunos. As aulas retornam normalmente no dia 17 de agosto. Em virtude dessa decisão os testes estão suspensos temporariamente para os corais comunitários.


Se você já participa dos coros, verifique abaixo a data de reinício dos ensaios:


17/08 (segunda-feira)

  • Coral da ECA-USP, já com a presença da Profª. Carmen Téllez:

12h às 13h30min - auditório


18/08 (terça-feira)

  • Studio Coral-Vozes Femininas:

20h às 22h30min - auditório


19/08 (quarta-feira)

  • Comunicâmara:

16h - auditório

  • Coral Oficina:

18h às 19h15min - auditório


21/08 (sexta-feira)

  • Coral da Terceira Idade da USP:

14h às 16h - sala 14A

  • Coral Escola:

18h30min às 20h40min - auditório


Observação: Seguindo as determinações das autoridades de saúde, as pessoas que apresentarem quadro de gripe não deverão vir. Estamos adotando os seguintes procedimentos:

  • Coralistas com tosse, coriza e dor de garganta: avisar a secretaria do Comunicantus por e-mail ou telefone antes do ensaio para que a falta possa ser abonada. (comunicantus.secretaria@gmail.com / 3091-4005 ramal 210)
  • As pessoas que apresentarem quadro de gripe durante sua permanência nas atividades serão aconselhadas a buscarem tratamento.
  • Só serão abonadas as faltas em função de problemas de saúde.
  • A agenda de testes será readaptada assim que os ensaios voltarem ao normal. Portanto, não serão realizados testes para nenhum dos coros na primeira semana de aulas.